Prefeito Raul Belém perde apoio do vice

A decisão do rompimento partiu do vice Werley Ferreira do PDT

Na quarta-feira (17) o apoio político entre o prefeito Raul Belém PP e o vice Werley Ferreira de Macedo foi rompido. A decisão foi tomada pelo vice e segundo o mesmo, ele e o prefeito já não estavam se entendendo a alguns meses e disse ainda que não estava participando ativamente do governo. A decisão só se concretizou segundo Werley, depois que algumas pessoas do partido foram exoneradas essa semana.
Com informações do G1


Bandido invade residência e agride idoso em assalto no bairro Goiás

Vítima de 84 anos deu entrada no Pronto Socorro Municipal
DA REDAÇÃO – Nem o dia, a hora, tampouco o lugar. Sem qualquer pudor, bandidos promovem uma série de ataques pelas ruas de Araguari. Apenas no último fim de semana, três foram registrados. Em um deles, pior para um morador de 84 anos.
O relógio apontava quase as 22h30 deste sábado, 6, quando a vítima teve uma surpresa enquanto descansava em sua residência. O imóvel, situado na rua Severino Alves Cardoso, bairro Goiás, havia sido invadido por um homem que após arrombar a porta, ainda o agrediu com socos e pontapés.
Os gritos do morador invadiram a vizinhança. Preocupado com a situação, um dos vizinhos chegou a encontrar o autor, que simulou um pedido de socorro alegando que um homem havia espancado o idoso. Depois disso, fugiu rumo ao bairro Fátima, levando apenas um relógio de bolso.
Diante dos ferimentos, o senhor deu entrada no Pronto Socorro Municipal. Enquanto isso, equipes do 53º Batalhão de Polícia Militar iniciavam rastreamentos em busca do suspeito, que não foi localizado até o fechamento desta edição.
Ainda no sábado, outro ataque exigiria a presença dos militares. Desta vez, o palco foi em plena região central, onde um pedestre acabou surpreendido por três homens enquanto circulava pela avenida Batalhão Mauá. Apesar do anúncio do assalto, a vítima de 27 anos entrou em luta corporal com os autores. Ainda assim, não foi o bastante para impedir que levassem o seu aparelho celular, além de R$ 25,00 em dinheiro.
No dia anterior, nem a luz do dia inibiu a tentativa dos bandidos num estabelecimento comercial. Em posse de arma de fogo, os dois suspeitos chegaram em uma motocicleta e anunciaram o assalto nas imediações do bairro Millenium. Ao todo, foram levados R$ 300,00 em dinheiro, R$ 157,00 em cheque e um celular.
TRÁFICO DE DROGAS
Apesar dos ataques, o fim de semana foi de avanço contra o tráfico de drogas no município. Na quinta-feira, 5, policiais desconfiaram da atitude de um casal enquanto circulavam pela rua Ignácio Lopes da Silva, bairro Fátima. Com eles, foram localizados 90 gramas de ácido bórico, utilizado para fabricação de cocaína, além de uma bateria e pequena quantidade de maconha. Diante disso, a mulher A.P.B. (19) e o homem O.M.S. (26) foram levados à delegacia.

Fonte: Gazeta do Triângulo

Especialista dá dicas de como se comportar em festas de fim de ano

Foco é nas festas promovidas por empresas.
Funcionário deve priorizar o bom senso, diz psicóloga. 




Com a chegada das festas de fim de ano nas empresas surgem dúvidas de como se comportar, o que vestir, se deve ou não ingerir bebida alcoólica ou até mesmo levar acompanhante. Evitar gafes na frente dos colegas e do chefe acaba sendo uma “regra”. Se não for seguida, pode causar transtornos momentâneos e “brincadeirinhas” no futuro. Uma psicóloga, especialista em terapia cognitivo-comportamental e em recursos humanos de Uberlândia, deu dicas para evitar vexame nas festas e aproveitar bem o momento de confraternização.

Segundo Kátia Beal, as confraternizações de final de ano são frequentes nas empresas, sendo um momento importante para as organizações agradecerem aos colaboradores pelo trabalho durante o ano, estreitar a parceria e comemorar a conquista dos objetivos, das metas e dos resultados obtidos. Para ela, a presença do funcionário é essencial neste momento. “É muito importante frequentar este tipo de festa. Primeiro porque se você não for, pode passar a impressão de que não gosta dos colegas ou de que não gosta da empresa em que trabalha. Segundo porque pode ser uma excelente oportunidade de melhorar o ciclo de amizades e também de fazer networking, conversando com colegas de outros setores que podem ser úteis para o desenvolvimento de novos projetos ou até mesmo de ganhar visibilidade com os superiores”, disse.
Em casos onde o funcionário não pode comparecer ao evento, a especialista disse que é importante comunicar o motivo aos organizadores, colegas e superiores para que eles percebam que o profissional importa com eles e com a empresa.
Outro ponto importante nesse tipo de eventos é usar o bom senso e controlar os excessos quando o assunto é comida, bebida e música. “Beber demais em uma festa da empresa pode passar uma péssima impressão. A bebida também pode influenciar nos comportamentos vistos como negativos, como por exemplo, flertar com aquela colega bonita do outro setor ou ainda ‘dar em cima’ da mulher do colega de trabalho. A bebida também pode dar coragem de falar mal daquele colega ou ainda de reclamar do salário ou do chefe. Então, todo cuidado é pouco, principalmente neste tipo de festa. A festa acontece só uma vez no ano, o seu trabalho acontecerá todos os outros dias”, afirmou.
A festa acontece só uma vez no ano, o seu trabalho acontecerá todos os outros dias"
Kátia Beal, psicóloga, especialista em terapia cognitivo-comportamental 
Devido a modernidade e a grande presença das redes sociais na vida das pessoas, a profissional alertou para as fotos e registros. “Hoje em dia tudo é apontado e postado nas redes sociais, então, se aquela imagem do colaborador, com expressão de quem perdeu o controle na festa for parar na rede, pode causar uma péssima impressão, não só com os colegas, mas com outras pessoas que poderão ver a foto, e ‘queimar o filme’. O evento acaba, mas os momentos constrangedores ficam registrados e divulgados por aí pra quem quiser ver”, salientou.
Nesse tipo de festa, segundo a especialista, é inevitável falar de trabalho, mas há de se ter o cuidado de não ficar “bitolado” só nesse assunto. “É uma confraternização e é importante falar de outros interesses, como o curso que você está fazendo, a viagem que pretende realizar, o livro que está lendo ou ainda com um hobby que você tem. Também não é legal e nem adequado tomar o amigo como seu terapeuta e reclamar da vida, do trabalho, da empresa. Deixe isso para outro momento, ou para o seu psicólogo”, ressaltou Kátia Beal.
Nada de PAQUERAS
Segundo Kátia Beal, paqueras ou demonstrações de afeto em público devem ser evitadas, pois podem ser tomadas como falta de respeito ou até como assédio, dependendo do nível de formalidade e conservadorismo da empresa. “Sabemos que muitos profissionais se relacionam dentro da mesma empresa. Não há problema nenhum em se envolver com um colega de trabalho, a questão é como você mostra isso para os outros colegas e como você se importa com a privacidade da sua relação”, disse.
A funcionária de uma distribuidora de Uberlândia, que preferiu ter o nome preservado, contou que uma demonstração de afeto em público durante uma festa de fim de ano causou sérios problemas que quase a fizeram pedir demissão. “Eu não sou de beber e no ano passado acabei experimentando e revelando, no meio de todo mundo, o meu amor platônico pelo meu coordenador. Só lembro da cara dele de espanto e dos meus colegas fazendo brincadeiras no outro dia. Me senti péssima e pensei seriamente em sair da empresa. Até hoje, alguns amigos ainda insistem em me lembrar da cena”, disse.

Visual x Horário
A especialista contou que além do comportamento, é importante ficar atento no visual. “É uma festa, mas é uma festa de trabalho, então nada de decotes muito chamativos, nem roupas justas ou curtas demais, nem roupas muito informais. Lembrando também de observar a postura, para que seja a mais condizente com o que você representa mesmo no seu dia a dia no trabalho”, comentou.

Kátia Beal ainda acrescentou que nas festas da empresa é importante ser pontual. Sobre o término, é importante observar que hora o chefe vai embora, por exemplo. “Quem fica até o final da festa pode passar a ideia de que estava apenas esperando o chefe ir embora pra poder ficar mais descontraído. Eu acredito que sobre essa questão a ideia seja o bom senso, ou seja, fique até a hora que acha conveniente ficar, mas sem excessos”, concluiu. 
Fonte: G1

Casas do Bella Suíça e Portal dos Ipês têm entrega prevista entre fevereiro e abril de 2015

Expectativa era que moradores estivessem nas casas do Bella Suíça antes do Natal
DA REDAÇÃO – Contemplados do programa Minha Casa Minha Vida no residencial Bella Suíça terão que adiar por mais alguns meses a mudança para a casa nova. Em novembro, a prefeitura informou que parte das moradias seria entregue neste mês, até o dia 15. A previsão é de que isso ocorra entre fevereiro e abril de 2015, período em que também será realizada a entrega do Portal dos Ipês.
Ao todo, foram construídos 2572 imóveis nos dois residenciais, sendo 1000 casas no Portal dos Ipês e 1572 casas no Bella Suíça.
A expectativa de passar o Natal em novo lar foi frustrada. É o que afirma uma das contempladas, do Bella Suíça que prefere não se identificar. “Estava planejando tudo para isso, mas agora não vai acontecer. Demora muito,” disse.
Segundo o secretário de Planejamento e Habitação, Nilton Eduardo Castilho, falta ainda a distribuição de energia nos residenciais e o término da análise de contemplados. “A Cemig precisa concluir essas obras até 31 de janeiro. Recebemos um documento deles com essa data e não temos o que fazer, é uma necessidade operacional,” ressaltou.
Terminadas as obras de infraestrutura, até que o morador receba as chaves, ainda é necessário organizar eventos para assinatura do contrato do imóvel e o sorteio de endereços.  Até a etapa final, a conservação das casas está sob inteira responsabilidade da construtora, que deve entregá-las em perfeitas condições. 
Fonte: Gazeta do Triângulo

Procurador-geral de Justiça toma posse na próxima terça-feira

DA REDAÇÃO – O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) realiza a solenidade de posse e entrada em exercício do segundo mandato de Carlos André Mariani Bittencourt no cargo de Procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, biênio 2015/2016, perante o Colégio de Procuradores de Justiça.
Carlos André é natural de Belo Horizonte e tem 49 anos. Foi promotor de Justiça nas comarcas de Ibiraci; Diamantina; Barbacena e BH. Atuou nas áreas de Justiça de Família e Fazenda Pública e Defesa do Patrimônio Público, além de exercer funções junto à Procuradoria Regional Eleitoral de Minas Gerais e de coordenar o Centro de Apoio Operacional Estadual do Ministério Público de Minas Gerais.
Exerceu o cargo de chefe de gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça até 2008 e, em fevereiro de 2011, assumiu o cargo de Procurador-geral de Justiça adjunto Administrativo. Em dezembro de 2012, tomou posse como Procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, cargo que ocupou até outubro deste ano.
Fonte Gazeta do Triângulo